quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Transformações



Maquiagem feita para a personagem Dolores, do espetáculo Como Almodóvar. A atriz é Simone Brault.



Maquiagem feita para o personagem Moacir, do espetáculo Avental todo sujo de ovo. O ator é Anderson dy Sousa.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Momento culinário: Gyudon



Vocês já conhecem o cooking with dog??? É um canal do Youtube onde uma japonesa e um cachorro (!) ensinam a fazer comida japonesa. Eu adoro, olho sempre pra ver as novidade, e vivo testando as receitas...
Essa daqui é uma adaptação minha pra essa receita deles. Se chama Gyudon, e é o arroz japonês com um refogado de carne por cima. Na verdade eu já fiz muitas variações, sempre o arroz como base, mas já fiz o refogado de frango, de atum, de legumes, e de cogumelos, que fica delicioso.
Bom, eu faço tudo meio a olho, então não sei direito as quantidades. Desta vez usei picanha, mas já fiz com outras carnes, geralmente compro um bife por pessoa, e fatio. As quantidades aqui são para duas pessoas.

ARROZ
1 caneca (ou 2 xícaras) de arroz japonês, próprio para sushis e etc.
o dobro da medida de água
2 colheres de sopa de vinagre de arroz
1 colher de sopa de saquê
1 colher de sobremesa de açúcar (eu uso demerara)
1/2 colher de sobremesa de sal

CARNE
2 bifes da carne de sua preferência
1 cebola fatiada
1 pedaço de gengibre ralado
dashi (tempero japonês)
shoyu
saquê
água
1 colher de café de açúcar
cebolinha picada
2 ovos
páprica picante (decorativo)

MODO DE PREPARO

ARROZ
Lave bem o arroz, até que a água saia transparente, tomando cuidado pra não quebrar os grãos. Escorra e coloque-o na panela em que será cozido. Acrescente a água e deixe decansar por 10 minutos. Após esse tempo, leve ao fogo, e após ferver cozinhe em fogo baixo por aproximadamente 10 minutos, ou até que a água seque.Apague o fogo e deixe descansar por mais 10 minutos. Para o "tempero" do arroz: junte o vinagre de arroz, o saquê, o açúcar e o sal em uma panela e leve ao fogo até que o açúcar derreta completamente. Depois de pronto, misture ao arroz delicadamente.

CARNE
Corte a carne em fatias e tempere com shoyu, gengibre ralado e dashi. Em uma frigideira, frite a carne com um pouco de manteiga ou azeite, até que fique dourada. Retire a carne e refogue a cebola com um pouquinho de shoyu, mais ou menos uma colher de sobremesa de saquê, uma colher de café de açúcar e um pouquinho de água, até que a cebola amoleça. Junte a carne e refogue mais um pouco.

OVO
Leve os ovos ao fogo na água ainda fria, e quando começar a ferver, conte 1 minuto e retire-os do fogo. O ponto certo é o de "ovos moles", com a clara um pouquinho dura, mas a gema ainda mole.

MONTAGEM DO PRATO
Ponha uma camada do arroz temperado, em seguida o refogado de carne, polvilhe com a cebolinha picada, e arrume o ovo descascado em um cantinho do prato. Eu usei páprica picante pra decorar meu ovo, mas é opcional.

Bom apetite!

domingo, 23 de agosto de 2009

Reforma de sapatos II : a missão!



Esse é um sapato que precisei reformar para a personagem Maribel, de Pluft, o fantasminha. Usei um par de sapatos da atriz como base, e um pedaço de tecido que sobrou do vestido da personagem. O processo todo foi muito parecido com o da primeira reforma que postei aqui, então esse passo a passo vai ser um pouco menos explicativo...

Esse foi o sapato que usei como base:



Usando um tecido de algodão ( o melhor seria algodãozinho, tipo cru, mas eu não tinha) e vários alfinetes, comecei a tirar o molde do sapato:



Depois de todo preso, marquei a caneta



e ficou assim



então passei pro papel



depois cortei no tecido, deixando bastante sobra



e colei no sapato, usando cola de contato. Abaixo dá pra ver o tecido já todo preso, sem nenhum acabamento



Abaixo o acabamento superior já concluído



e aqui, o sapato todo pronto



Reparem que usei o próprio buraquinho do sapato para fazer a amarração do laço de fita



Adorei o resultado e a atriz também, garantiu que vai usar inclusive depois que acabar o espetáculo!

Figurino e maquiagem: Pluft, o fantasminha

Algumas fotos feitas com minha máquina caseira, nos primeiros dias de apresentação...
Assim que tiver fotos de cena, coloco aqui!







PLUFT, O FANTASMINHA
Texto: Maria Clara Machado
Direção: Susan Kalik
http://diariodepluft.blogspot.com/

ESTRÉIA:
20 de Agosto, 20H
TEMPORADA:
De 21/08 a 30/08 - Quintas e Sextas – 15h / Sábados – 17h e 19h / Domingos – 17h
LOCAL:
TEATRO MARTIM GONÇALVES
INGRESSOS:
GRATUITOS (Retirar senha uma hora antes do espetáculo)

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Adereço: sombrinha vitoriana



Estou fazendo o figurino (e a maquiagem também!) de um espetáculo infantil: Pluft, o fantasminha. É a peça de formatura de uma ex-aluna minha em direção teatral (serviço completo no final do post).

Adoro fazer espetáculos infantis, e esse não tem sido diferente - e nem poderia, estou vestindo pessoas que gosto muito, que sorte! A primeira coisa que tenho pra mostrar é uma sombrinha vitoriana, um adereço de figurino da Mãe Fantasma.

Usei uma sombrinha de criança como base. Na verdade as sombrinhas vitorianas não eram exatamente desse tamanho. A cúpula era menor do que um guarda-chuva de adultos, ok, mas o cabo era comprido, tinha altura sufuciente pra que a dama se apoiasse sobre a sombrinha quando estivesse de pé. Então pro meu projeto ficar historicamente preciso seria necessário um ferreiro nessa história, pra aumentar o cabo do meu guarda-chuva de criança... por enquanto acho que não será necessário, descobrirei no primeiro ensaio...



Essa foi a sombrinha que usei como base. Aqui abaixo dá pra ver ela fechada:



Eu gostaria de ter encontrado uma sombrinha branca, teria me poupado algum trabalho, mas na falta, comprei essa rosa, que foi a mais clarinha que encontrei. O que me motivou a comprá-la foi a estrutura de acabamentos destacáveis: tanto os pinos das pontas das varetas quanto o acabamento superior, que é de rosca:



O primeiro passo foi descosturar a capa da sombrinha para copiar o molde. No caso da minha sombrinha, serão 8 triângulos, isso varia de acordo com a estrutura. Como essa é a primeira vez que faço uma sombrinha, optei por uma estrutura com a menor quantidade de costuras que encontrei. Copiei o triângulo para um papelão duro, para usar como molde:



Para cobrir a estrutura eu queria usar uma renda, mas sabia que esse tipo de tecido era muito delicado e também um pouco elástico, o que dificultaria o trabalho.




A solução que eu encontrei foi usar voil como base pra renda. Ainda assim foi difícil! Teria sido muito mais fácil fazer minha primeira sombrinha com um único tecido firme, sem sobreposições...



Posicionei os dois tecidos, um sobre o outro, prendi com muitos alfinetes, e marquei as 8 partes do meu molde:



Antes de cortar eu alinhavei cada parte, pra manter os dois tecidos unidos no lugar certo:



Depois foi só juntar as partes na máquina





E essa é a estrutura da sombrinha "pelada", sem a capa! Reparem nos óculos ao lado da estrutura, artigo de segurança fundamental quando se trabalha com sombrinhas!



Depois de testar a roupa nova da sombrinha, hora de partir pros acabamentos. Primeiro, tentei pintar os pinos das pontas das varetas de branco com tinta acrílica, mas não funcionou. Como o plástico é muito liso, a película de tinta se solta por completo depois de seca. Como eu não precisava de uma cobertura perfeita - os pinos nem aparecerão quando a sombrinha estiver pronta - apelei pra tinta que nunca te deixa na mão, pega em qualquer superfície, e geralmente eu tenho em casa: esmalte de unha. Funcionou. Depois cobri o acabamento superior da sombrinha usando um cordonê e cola de contato.








Encapei também o cabo da sombrinha, usando fita de cetim e o mesmo cordonê do acabamento superior:





Antes de prender os pinos novamente nas varetas, eu prendi ainda um babadinho em toda a borda da sombrinha. Depois prendi os pinos, o acabamento superior, e em cada ponta de vareta coloquei um laço com flores, como o que usei no cabo. Esse foi o resultado final:





E agora, o serviço, pra quem quiser ver ao vivo!

PLUFT, O FANTASMINHA
Texto: Maria Clara Machado
Direção: Susan Kalik
http://diariodepluft.blogspot.com/

ESTRÉIA:
20 de Agosto, 20H
TEMPORADA:
De 21/08 a 30/08 - Quintas e Sextas – 15h / Sábados – 17h e 19h / Domingos – 17h
LOCAL:
TEATRO MARTIM GONÇALVES
INGRESSOS:
GRATUITOS (Retirar senha uma hora antes do espetáculo)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Feltragem: novo método

Aqui em casa um novo método de feltragem está funcionando muito bem: unhas e dentes de gato. basta fazer uma bolinha de crochê, como uma cerejinha, e soltar pela casa! Em poucas horas ela começou a feltrar, e o processo continua...



quinta-feira, 9 de julho de 2009

Ubu Rei

Mostra do Módulo V de Interpretação Teatral da Escola de Teatro da Ufba.Direção Gláucio Machado. Eu fiz orientação de figurino e maquiagem. Em cartaz de 9/07/09 a 12/07/09, 19h, no palacete das Artes/Museu Rodin - Salvador, BA.

video

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Feltragem à mão



Eu ainda não tinha realmente me interessado em aprender a feltrar, até que uma amiga muito querida que está morando em outro país me mandou alguns novelos de lã Eskimo, 100% pura lã, excellent for felting...daí já viu, né?

Comecei com uma bolinha e uma capinha pro meu celular.
A bolinha foi o mais fácil, só cortei um pedacinho da lã, e desfiz o fio, desenrolando, pra que perdesse o formato. Mas na próxima vou experimentar usar o fio enrolado mesmo, e misturar mais de uma cor.
Já a capinha eu tricotei toda antes de feltrar. Sem mistérios, um retângulo emendado na lateral e na parte de baixo. O único segredo é fazer a capinha folgada, porque depois da feltragem a peça diminui um pouquinho. E é fundamental que o material usado seja 100% lã.



Para feltrar eu usei água quente e sabão líquido pra roupas delicadas.



Deixei a capinha de molho na água quente com sabão enquanto eu fazia a bolinha: é só botar o sabão, e ir molhando na água quente e enrolando de leve, como um brigadeiro, dando o formato da bolinha.



A água precisa estar quente. Depois que eu achei que a bolinha já estava bem uniforme, passei pra capinha.



Botei um pouquinho mais de sabão, agitei bem - no início com uma espátula de madeira, pois a água estava quente - e em seguida com as mãos, sempre molhando, ensaboando e esfregando. Demora uns 10,15 minutos.







Depois é só enxaguar com cuidado, e deixar secar à sombra, sobre uma toalha, por umas 24h, pelo menos. Eu botei um pedaço de isopor dentro da capinha, pra ela secar no formato do celular.



Olhando o resultado acho que podia ter ficado ainda mais tempo na água esfregando...



Na próxima vou misturar cores.
Existem outros métodos de feltragem, por exemplo na máquina de lavar, ou com agulhas. No superzíper tem vários posts e tutoriais.
e procurando na internet dá pra achar mil usos pra feltragem:
bolsas
flores
bijus

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Odisséia









video

Mostra do Módulo III de Interpretação Teatral e do Módulo III de Direção Teatral da Escola de Teatro da Ufba.Direção de Érico José, Meran Vargens, e alunos do Módulo III de Direção. Eu fiz orientação de figurino e maquiagem. Em cartaz de 6/07/09 a 9/07/09, 10h, na Biblioteca dos Barris - Salvador, BA.